Sede: Rua Quinze, nº 31 – Conj. Marcos Freire I – Bairro Taiçoca – Nossa Senhora do Socorro/SE – CEP 49160-000 – (79) 9994-2646

10° Cactus Motofest

A história começou em novembro de 2011, durante o Motofest de Aracaju, quando o Irmão Junior Vina de Currais Novos/RN veio até nossa tenda se apresentou nos convidando a ir ao Cactus Motofest de 2012. Eu respondi que iria estudar tal possibilidade.
Acontece que resolvi realizar a viagem, e convidei outros amigos e membros da nossa facção para tal compromisso.
As únicas adesões foram de Daniel Sandrin (Bodes do Asfalto) e Sérgio (Leões do Asfalto).
O Daniel por conta do início das aulas (o mesmo é professor universitário) teve sua ida cancelada e quanto ao Sérgio, sua esposa Nadja iria realizar uma cirurgia na época. Resumindo, fui acompanhado apenas com DEUS, na minha Suzuki V-Strom DL1000.
Começo aqui o ocorrido nesta viagem:

Quinta-feira, 08/03/2012, 09h00 – Saindo de Aracaju, iniciei a jornada abastecendo em um posto de combustível localizado na Barra dos Coqueiros, Odometro marcando 26.634 Km. Isso mesmo, fui pelo litoral passando por Pirambú, Japaratuba e peguei a BR-101 sentido norte. Entrando no estado de Alagoas, peguei a estrada de Arapiraca. Parei para abastecer em Palmeira dos Indios, até aqui já tinha rodado 222,6 Km (odom 26.857 Km) segui viagem.
Quando em Garanhuns, por volta das 13h00, resolvi parar para almoçar. Logo após segui viagem em direção a Caruarú.
Em Toritama parei para abastecer, até aqui já tinha rodado 227,1 Km (odom 27.084 Km) de lá para Campina Grande, Remigio e Picuí.

Às 19h00 parei para abastecer na cidade de Picuí. Até aqui tinha rodado 231,4 Km (odom 27.315 Km). Neste local a frentista que me atendeu (Angela), muito solícita, começou a falar comigo a fazer um bocado de perguntas. Uma delas se eu era Maçom? Pois na minha moto tinha o mesmo adesivo do carro do patrão dela que é também Maçom. De imediato, ela chamou o mesmo e fez as honras da casa. Bem, me senti em casa!


Enquanto conversava com o nosso Irmão, chegou um baixinho motociclista chamado de Rui, que puxou conversa e mais conversa. Quando indaguei sobre o trecho esburacado de alguns quilometros antes de Picuí, e perguntado sobre como encontravs-se a estrada até Currais Novos (ainda faltavam uns 70 Km), me falaram que iria enfrentar mais 14 Km de buracos até depois de Parelhas e aí então ficaria boa viagem.
Mas para minha surpresa, o Rui juntamente com o João (funcionário da SAMU), Angela (a frentista) e o Irmão (proprietário do posto) me convenceram a pernoitar na cidade e que no dia seguinte alguns motociclistas iriam me acompanhar.
Então resolvi jantar e no mesmo local, Hotel Picuí, acertei a dormida. A proprietária sofreu um pouco com as minhas brincadeiras, mas entramos num acordo. R$ 25,00 dormida e café da manhã. Depois soube que ela é meio carrancuda, mas no final saiu tudo bem. Hehe!
O Rui apareceu por volta das 20h e me levou conhecer a cidade à noite. Depois de rodar, paramos na praça do espetinho e lá permanecemos até a hora de ir dormir. Neste ponto de encontro conheci várias pessoas daquela cidade, aumentando a circulo de amizades.


Sexta-Feira, 09/03/2012 – 08h00, depois de uma dormida desci para tomar o café da manhã e depois fui dar uma volta na cidade. Pensava em seguir viagem por volta das 09h30, quando ao parar numa praça para umas fotos, chega o Rui e dizendo que o proprietário da Concessionária Honda da cidade, o “Lamparina” que também é motociclista, ao saber que eu me encontrava por ali, pediu ao Rui que me levasse até ele.
Ao chegar fui recebido com todas as honras e me convenceram a seguir viagem à tarde com o grupo que estava vindo de Fernando de Noronha.

Então fui conhecer a sede da SAMU, onde o João trabalha como motorista socorrista. Também fui conhecer o Irmão Erimar Venerável da ARLS “Pedro Tomaz de Medeiros” – nº 7, em seu escritório de contabilidade. Enquanto conversávamos, ele recebeu uma ligação comunicando que sua espôsa teve sua bolsa rompida, ela estava grávida, e ele teve que sair às pressas para dar a assistência. Então pediu ao zelador do Templo que me acompanhasse e mostrasse a Loja. “Espero que o parto tenha sido maravilhoso!”. Em breve farei uma ligação para saber como foi.
Ao meio-dia fui almoçar e descansar para enfrentar estrada novamente.

Finalmente às 16h00 saímos em número de 6, com destino à Currais Novos. 70 Km de estrada sendo destes 14 Km de buracos até Frei Martinho de onde seguimos a BR em direção a Currais chegando lá às 17h30.
Na rodovia próximo ao acesso da cidade, estava monta a tenda para a recepção do motociclistas, oferendo água e orientando-os.
Ao entrar na cidade fui para o local de acampamento na sede da AABB (não tinha conseguido vaga em hotel) que tinha uma estrutura muito boa com piscina, restaurante e segurança.

Montei minha barraca, tomei um bom banho e troquei de roupa para i até a praça onde ocorria o evento.
Quando cheguei na praça fui à barraca de inscrição registrar nossa facção. E depois fui passear  quando comecei a encontrar um bocado de Bodes soltos por lá. Dentre eles, o Rubens Neto e Antunes de Recife. Começamos então a contar as aventuras da viagem.

Sábado , 10/03/2012, – Após o café fui encontrar com Antunes e o Rubens, de lá encontramos outros Bodes e decidimos ir visitar os túneis da Mina Thomaz Salustino (mina de tungstênio)

Depois de visitarmos as minas, retornamos à cidade e paramos no local onde estava sendo oferecido um churrasco 0800 aos participantes. Tinha muita gente e a fila estava enorme, então todos resolvemos ir almoçar em algum restaurante no centro. Eu fui para o da AABB e após fui para a barraca tirar um cochilo merecido para poder enfrentar a noite.

Agora é que vem o assunto ruim:
Quando estava na AABB e pretendia sair a moto não pegava, pois a carga da bateria tinha ido para as cucuias.
Tentamos fazer pegar no tombo e nada!
Tentamos através de cabos uma chupeta e então funcionou!
Me desloquei para a praça do evento e assim que parei a moto morreu novamente, sem carga na bateria. Procurei os organizadores do evento e expliquei o ocorrido quando me indicaram um mecânico de plantão chamado Junior. Pasmen o nome e telefone dele estava no folder que nos entregaram desde o começo. Mas como muitos de nós nem chega a ler, passei batido.
Liguei para o Junior, já era mais de 21h00, que veio até o local e rebocamos a moto até sua oficina. Depois de alguns testes, descartou a possibilidade de bateria ruim, e ficou constatado  que era o retificador.

Meu dilema:
Onde encontrar um retificador para V-Strom naquela cidade e naquela hora?
Bateria na carregador, que só ficou carregado às 02h00 do domingo, e o Junior providenciou um retificador de outro tipo de moto (não sei qual) e fez as devidas ligações para que eu pudesse retornar ao meu lar. Quando isto terminou era 03h30 do domingo e eu voltei cansado para a AABB e fui tirar uma soneca. Porém uma cambada de motociclistas da meia idade fizeram tanto barulho que eu não consegui relaxar, e as 05h30 estava no banheiro fazendo minha higiene. Sentei o sarrafo neles!
Após tomar café montei na minha poderosa e peguei a estrada de volta pra minha casa, saindo as 07h00, desta vez retornei por outro caminho um pouco mais longo, porém sem os buracos de Picuí. Então fiz o percurso de Acari, Carnaúba dos Dantas, Parelhas, Equador, Juazeirinho, Soledade, Campina Grande, Queimadas, Alcantil, Taquaratinga do Norte, Toritama (onde parei para almoçar e comprar umas lembranças para mulher, filhas e neto), Caruarú, Lajedo, Garanhuns, Bom Conselho, Palmeira dos Índios, Arapiraca, São Sebastião, Propriá e chegando em Nossa Senhora do Socorro à 18h00.

Odometro saída: 26.634
Odometro chegada: 28.240
Total rodados: 1.606 Km
Combustível gasto: R$ 287,90
Média consumo: 15 Km/litro
Velocidade média: 100 Km/h

Nesta viagem visitei as ARLS Fraternidade e Justiça III de Currais Novos/RN e a ARLS Pedro Thomaz de Medeiros nº 7 de Picuí/PB.

Espero ter colocado aqui um pouco das minhas emoções nesta viagem. A única falta que tive foi de ter companheiros ao meu lado para poder dividir as alegrias.

Para ver outras fotografias cliquem aqui

Abraços a todos e até a minha próxima viagem.

Alberto Jorge MESQUITA da Costa
Coordenador do M. C. Bodes do Asfalto – Facção Aracaju
(79) 9994-2646