Portal da Fraternidade Maçônica

Oh, Quão bom e Quão suave é que os Irmãos vivam em união! … (Salmo 133)

Não quero apenas mais uma loja maçônica.

Não quero apenas mais uma loja maçônica.

Quero uma Loja que seja um Estado de Espírito. Quero um centro de solidariedade, onde todos sofram as aflições e comemorem o justo regozijo de cada um. Quero um templo azul, ungido pelo orvalho de Hermon, onde cada irmão possa chorar quando quiser e possa sorrir com os olhos, o coração franqueado à compreensão e à razão, predispostas ao diálogo.
Quero ver os meus irmãos, todos os dias, ouvir ideias e ouvir críticas às minhas ideias.
Quero divergir e, assim, convergir no mesmo ideal.
Não quero apenas mais uma loja maçônica.
Quero uma loja livre, que ajude a libertar. Quero uma loja igual, onde todos realmente se igualem. Quero uma assembleia onde se possa debater com a liberdade e a simpatia que estão ausentes no mundo profano. Quero uma oficina onde todos aprendam juntos a compreender os desígnios do Grande Arquiteto do Universo.
Não desejo apenas uma loja onde prevaleça a vontade de alguns.
Quero uma loja onde a maioria respeite as convicções da minoria, onde se cultiva a fraternidade sinônima de amor sem condições e perdão sem restrições.
Quero uma loja dedicada à construção de um templo diverso do templo profano: um templo mais amigo, mais piedoso e, sobretudo e, mais justo. Não desejo uma loja de elite, insensível e presunçosa.
Quero uma pequena comunidade onde todos sejam líderes de suas próprias crenças, onde cada irmão perdoe os defeitos alheios na mesma medida em que lhes são desculpados os próprios senões.
Não desejo uma loja, onde todos cumpram seus deveres somente porque a lei exige.
Quero uma loja de cargos simbólicos, onde não haja apenas contribuintes, onde todos venham pelo puro prazer de vir, uma loja que faça parte da vida de cada um, do credo pessoal de cada um, do modo de ser de cada um.
Não desejo uma loja de maçons perfeitos.
Que o Grande Arquiteto do Universo nos livre dos homens perfeitos. Eles nunca erram, porque jamais acertam. Eles nunca odeiam, porque jamais amam.
Quero uma loja de maçons que mereçam a caridade que fazem a si próprios e ao próximo, porque ninguém é uma pedra polida. Não desejo uma loja completa.
Quero uma loja onde não haja erros e acertos, mas que procure em cada vocábulo emitido, o quanto de amor transmite. Quero uma loja onde haja equívocos, contradições e, até mesmo, ilusões.
Quero uma opção de aprimoramento espiritual.
Não quero uma loja de homens ricos.
Quero uma loja onde ninguém se eleve senão pelo trabalho, onde ninguém se acomode, onde todos sejam eternos insatisfeitos.Autor desconhecido.
Quero uma loja onde o segredo não precise ser jurado e continue segredo. Quero uma oficina humilde e crítica.
Não o Cristo lenda do cristianismo que só compreendeu quando o crucificaram, mas o Cristo dos aflitos e dos andarilhos.
Não quero apenas mais uma loja maçônica. Quero uma loja de pequenas dimensões e grandes obras, onde, um dia, possa fazer do meu filho, meu irmão.

Autor desconhecido.